ORQUESTRA FILARMÔNICA DE MINAS GERAIS

SOBRE O EVENTO

Início: 06/04/2019 00:00
Fim: 12/04/2019 23:59
Onde: BELO HORIZONTE

Românticos ainda que tardios

 

Marcos Arakaki, regente
Vladimir Feltsman, piano

|    Presto

|    Veloce

MIRANDA
GRIEG
FRANCK
Suíte Festiva
Concerto para piano em lá menor, op. 16
Sinfonia em ré menor

Marcos Arakaki, regente

Marcos Arakaki é Regente Associado da Filarmônica de Minas Gerais. Tem conduzido importantes orquestras no Brasil e também nos Estados Unidos, México, Argentina, República Tcheca e Ucrânia. Colaborou com artistas de renome, como Pinchas Zukerman, Gabriela Montero, Sergio Tiempo, Anna Vinnitskaya, Sofya Gulyak, entre outros. Vencedor do I Concurso Nacional Eleazar de Carvalho para Jovens Regentes (2001) e do I Prêmio Camargo Guarnieri (2009), foi Regente Titular da Sinfônica da Paraíba e da Sinfônica Brasileira Jovem, com grande reconhecimento da crítica especializada e do público. Gravou a trilha sonora do filme Nosso Lar, composta por Philip Glass, com a Orquestra Sinfônica Brasileira. Natural de São Paulo, é Bacharel em Violino pela Unesp e Mestre em Regência Orquestral pela Universidade de Massachusetts. Nos últimos anos, Arakaki tem contribuído de forma decisiva para a formação de novas plateias, por meio de apresentações didáticas, bem como para a difusão da música de concertos através de turnês a mais de 70 cidades brasileiras.

Programa de Concerto

Suíte Festiva | MIRANDA

Ronaldo Miranda nasceu no Rio de Janeiro, em 1948. Estudou Composição com Henrique Morelenbaum e Piano com Dulce de Saules, na Escola de Música da UFRJ. Começou sua carreira como crítico de música do Jornal do Brasil e intensificou seu trabalho como compositor a partir de 1977, quando obteve o 1º Prêmio no Concurso de Composição para a II Bienal de Música Brasileira Contemporânea da Sala Cecília Meireles, na categoria de música de câmara. Recebeu vários prêmios em concursos brasileiros de composição, bem como o Troféu Golfinho de Ouro (1981), o Prêmio APCA (1982, 2006 e 2013) e o Troféu Carlos Gomes (2001). Suíte Festiva estreou em novembro de 1997 no Concerto de Louvação, realizado na Sala Cecília Meireles, com a Orquestra Sinfônica Brasileira e sob a regência de Roberto Tibiriçá. Ao lado de composições de Korenchendler, Almeida Prado, Tacuchian e Krieger, Suíte Festiva homenageou a vinda ao Brasil do Papa João Paulo II. Comissionada pela Prefeitura do Rio de Janeiro para a ocasião, a suíte se divide em três partes, Entrata, Sombras e Luzes e, por fim, Tocata.